Um blog para você refletir...

O melhor design da região...

O melhor design da região...
Rua Senador João Câmara, 239, Centro, Santa Cruz/RN

domingo, 17 de maio de 2009

A primeira mulher a dar a luz no hospital universitário Ana Bezerra



Esta foi a primeira mulher a dar a luz no hospital Universitário Ana Bezerra. Aconteceu no ano de 1952. A mesma ainda mora no bairro Paraíso na rua Padre Antônio Rafael na casa de nº. 111. Parteira por muitos anos, essa grande mulher foi responsável por trazer ao mundo muitos bebês que hoje são pais de família. Aposentada, ainda mora com o esposo. O seu trabalho foi um exemplo vivo de dedicação.

terça-feira, 5 de maio de 2009

Ninguém foi a mais enterros do que ele em Santa Cruz


Didi é uma figura popular muito interessante. Há quase três décadas ele tem estado presente em praticamente todos os enterros que acontecem em Santa Cruz.
Ninguém sabe ao todo quantos velórios ele já participou, mas dá para se ter uma idéia da quantidade de visitas que esse modesto e simples santacruzense já fez aos cemitérios de nossa cidade. Desde o início dos anos 80 ele está presente em todo enterro que aqui acontece.
Muitos dizem que Didi só acompanha o morto até a entrada do cemitério, fato este que não é totalmente verdade. Acontece que muitas das vezes ele está prestes a entrar no cemitério quando tem conhecimento de um outro falecimento e logo sai em disparada. Ele quer está presente em todos.
Seu verdadeiro nome é José Rodrigues de Oliveira. Morador da rua João Bianor Bezerra. Didi está prestes a completar 59 nos de vida. Metade dela dedicada a triste e ao mesmo tempo solidária arte de acompanhar os mortos até a casa do silêncio ( cemitério ).
Didi recebeu de algumas pessoas o injusto apelido de Mosca da Morte, injusto porque ninguém jamais aceitaria fazer deste triste trabalho seu principal ofício, e isso ele faz melhor que qualquer um.
Se a quantidade de participação em velórios e enterros contar para o galardão eterno, não há dúvidas que Didi será um dos mais favorecidos na outra vida por vir.

“Não é o poder que corrompe o homem. O homem é que corrompe o poder”!