terça-feira, 29 de outubro de 2013

Vovô argentino virou atleta aos 95 anos e hoje, aos 99, inspira muita gente

Você acha que está muito tarde para voltar ou começar a praticar alguma atividade física? É do tipo que vive achando desculpa para tudo? Usa elevador para ir do térreo ao primeiro andar e vai de carro à padaria da esquina? Então talvez você precise conhecer a história do argentino José Lorenzo Escobar, que, aos 99 anos, é o mais velho atleta do Mundial de Atletismo Master, que ocorreu entre os dias 17 e 28 deste mês, em Porto Alegre.
Escobar serve de inspiração para muitas pessoas e é por isso que nós resolvemos contar a história dele. Antes que você se defenda dizendo que ele deve ser um atleta de longa data, saiba que o esportista começou a correr há quatro anos, quando tinha 95 de idade.
Quando ficou viúvo, em 1989, Escobar dedicou-se a cuidar de seus dez filhos e, desde então, nunca mais tinha praticado qualquer tipo de atividade física. Em 2009, porém, ele precisou lidar com a morte de uma de suas filhas e foi na corrida que encontrou o consolo do qual precisava.

Terapia

Fonte da imagem: Reprodução/ZeroHora
A família deu apoio ao pai e o acompanhava nos torneios dos quais ele participava. Um de seus filhos, que já era atleta, ficou tão emocionado quando soube da primeira corrida do pai que teve um infarto e acabou morrendo. Mesmo com a dor de mais uma perda, Escobar continuou batalhando para alcançar seus objetivos.
Suas vitórias logo começaram a chegar e, em 2010, conquistou seu primeiro prêmio no Chile, em um campeonato sul-americano. No mesmo ano, ficou classificado como tricampeão nacional na Argentina. Felizmente, Escobar conta com ajuda financeira do governo para arcar com as despesas de viagens.
No Brasil, em Porto Alegre, Escobar veio com dois filhos. Participante da modalidade 100 metros rasos, ele fez o percurso em 42s29 segundos. Perguntado sobre seus hábitos de vida, Escobar afirma que mantém uma horta na qual cultiva cenoura e pimenta, gosta de cozinhar em casa, corre sempre, não fuma e mantém uma alimentação saudável. A única coisa que não abandona, conta sorrindo, é o vinho tinto.
E aí, que tal deixar as reclamações de lado e dar um rumo diferente para a sua vida? Eis mais uma coisa que seu Escobar nos ensina: nunca é tarde.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

“Não é o poder que corrompe o homem. O homem é que corrompe o poder”!