Um blog para você refletir...

O melhor design da região...

O melhor design da região...
Rua Senador João Câmara, 239, Centro, Santa Cruz/RN

segunda-feira, 14 de novembro de 2016

Mulher explode o banheiro para tentar matar uma única barata

fogo-no-banheiro-para-matar-barata_01-1000x500fogo-no-banheiro-para-matar-barataAs baratas são notoriamente difíceis de matar. Existe até a lenda de que elas conseguem suportar bombas nucleares, tamanha a fama destes incríveis insetos, já que podem suportar 2.000x mais radiação do que nós humanos.
A ciência já sabe que elas conseguem viver por várias semanas mesmo com a cabeça arrancada. Preocupada com a incrível capacidade de resistência destes insetos, uma mulher de Taiwan “passou um pouco dos limites” na tentativa de eliminar uma barata.
A faxineira, que não teve o nome divulgado para preservar sua imagem, foi trabalhar em uma repartição em Chungli, no distrito de Zongli, quando se deparou com barata e não hesitou em agir ferozmente.
Ela conseguiu atingir a barata com um sapato, pegando-a em seguida com um papel de seda. Após isso, a faxineira jogou a barata no vaso sanitário e misturou vários produtos inflamáveis, ateando fogo na “mistura”. A quantidade de produtos inflamáveis foi tão grande que o vaso explodiu completamente em segundos. Mesmo após a explosão, ela não demonstrou estar preocupada com o fato, buscando apenas ter certeza que a barata estava morta.
Não foi divulgado se ela será obrigada a responder legalmente por sua ação perigosa ou se terá que pagar pelos enormes danos materiais gerados.
Catsaridafobia!
Esse nome super estranho é a definição para quem tem fobia de baratas. Muitos que sofrem do problema sofreram algum tipo de trauma na infância ou na pré-adolescência, onde tiveram contato com estes insetos.
Em casos extremos, torna-se necessário o acompanhamento com terapeuta especializado, bem como suporte psiquiátrico para controlar os sintomas que causam grande aflito aos portadores.
Jornal Ciência, via Shanghaiist / Metro 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

“Não é o poder que corrompe o homem. O homem é que corrompe o poder”!