Um blog para você refletir...

O melhor design da região...

O melhor design da região...
Rua Senador João Câmara, 239, Centro, Santa Cruz/RN

sexta-feira, 10 de março de 2017

Roqueiro fala sobre sua vida após conversão ao Evangelho

Uma das mais tradicionais personalidades do Rock testemunha como Deus mudou sua vida apos conversão ao evangelho. Alice Cooper, que antes era conhecido por músicas chocantes que exaltavam a obscuridade e o louvor ao homem como seu próprio “deus”, agora é manchete para nós e diversas mídias de comunicação, por continuar glorificando à Deus como Senhor da sua nova vida.
Nascido em Vincent Damon Furnier em 4 de fevereiro de 1948, Alice Cooper já tem uma carreira que dura 50 anos. Na década de 70 e 80 ficou bastante famoso por fazer shows com elementos dramáticos e teatrais, utilizando cadeiras elétricas, sangue falso e guilhotinas, chamando atenção do público. Considerado “O Padrinho de Shock Rock”, Cooper também já escreveu filmes de terror e ajudou na divulgação de vários trabalhos do gênero, tanto no teatro como na música.
Mas foi no final de 1989 que Alice Cooper se converteu ao evangelho e contou ao CNS News um pouco da sua experiência, falando de quanto era criança e o que o mundo significa para ele atualmente:
“Eu cresci em uma casa cristã. Meu pai era um pastor, ele foi um evangelista por 25 anos, e eu costumava acompanhar e fazer o trabalho missionário com ele, com os Apaches, no Arizona. Meu avô foi um pastor por 75 anos. Eu cresci numa casa cristã. E o pai de minha esposa é um pastor batista.”, disse ele, revelando que sempre teve a referência do evangelho em sua vida.
Cooper tratou de algo muito observado no meio artístico, que é o sentimento de “vazio” após grandes conquistas, quando os famosos geralmente descobrem que nada substitui a presença de Deus, como o verdadeiro motivo da vida:
“Quando você chega no auge e percebe que teve carros, casas e tudo mais, você vê que essa não era a resposta. Há um grande vazio no final disso. O materialismo não significa nada. Muitas pessoas dizem que há um buraco do tamanho de Deus em seu coração. E quando ele está completo, você realmente fica satisfeito. É onde eu estou agora”, disse ele.
Alice Cooper também foi por muitos anos considerado “dependente químico”, um alcoolista, chegando a beber compulsivamente até sofrer graves dados físicos. Mas com seu conhecimento bíblico herdado do pai e do avô, Cooper sabia que podia encontrar em Jesus Cristo a libertação que precisava:
“Eu vomitava sangue todas as manhãs.”, disse ele, acrescentando: “Eu digo às pessoas que não sou um alcoólatra tratado, sou um alcoólatra curado. Eu nunca fui ao Alcoólicos Anônimos ou algo assim, eu dou todo o crédito a Deus por isso. Até mesmo o médico disse: é um milagre ver que você não voltou para o álcool nas situações estressantes'” (…) Louvado seja Deus pelo que sou agora”.
Notícias Gospel

Nenhum comentário:

Postar um comentário

“Não é o poder que corrompe o homem. O homem é que corrompe o poder”!