Um blog para você refletir...

O melhor design da região...

O melhor design da região...
Rua Senador João Câmara, 239, Centro, Santa Cruz/RN

terça-feira, 9 de janeiro de 2018

Algumas pessoas realmente são sexualmente atraídas apenas pela inteligência, diz estudo

Como você descreveria seu homem ou mulher ideal? Enquanto algumas pessoas são atraídas pelos olhos, rosto, altura, corpo e cheiro, por exemplo, outras simplesmente pensam no cérebro.

Esta tendência, conhecida como “sapiosexualidade”, descreve exatamente um indivíduo que só consegue sentir atração por pessoas de Q.I. alto. Embora isto soe piegas, um estudo publicado recentemente na revista Intelligence suporta esta noção de que as pessoas podem sentir atração sexual pelo intelecto de outra, se acordo com informações da IFLScience.
O estudo foi liderado pelo professor Gilles Gignac, da Universidade Western Australia, e incluiu 383 alunos. Todos estes responderam uma pesquisa com questões sobre considerar ou não a inteligência uma característica determinante. Para ajudar a avaliar o que era relevante para eles, o questionário também abordou questões sobre qualidades que normalmente procuram em parceiro.
“Descobrimos que a sapiosexualidade pode ser medida psicométricamente e que entre 1% e 8% de pessoas relativamente jovens (18 a 35) podem ser sapiosexuais“, disse Gignac para PsyPost. “No entanto, de forma interessante, o quão inteligente um indivíduo é (medida com um teste de QI real) não pareceu prever o grau em que as pessoas se identificaram como sapiosexuais“.
Segundo os pesquisadores, outras características consideradas pelos estudantes foram pessoas fáceis de se conviver e de personalidade empolgante. Enquanto que o topo da lista foi preenchido por parceiros amáveis e compreensivos, a inteligência ficou em segundo lugar.
Embora os participantes tenham de fato se sentido atraídos por indivíduos com um nível de QI extremamente elevado, aqueles mais inteligentes do que 99% das pessoas foram vistos como menos desejáveis.
A pesquisa também incluiu questões que abordaram o quão excitante seria ter uma conversa “intelectualmente estimulante” com alguém inteligente. O que a equipe observou é que não é incomum que as pessoas vejam a inteligência como uma característica positiva, uma vez que junto com ela vêm melhores oportunidades de trabalho e tomada de decisões.
Entretanto, uma das limitações do estudo, conforme apontado por Gignac, é que este não incluiu pessoas com níveis de inteligência abaixo da média, ou seja, como QI menor do que 100.
Jornal Ciência via IFL Science

Nenhum comentário:

Postar um comentário

“Não é o poder que corrompe o homem. O homem é que corrompe o poder”!