sábado, 20 de janeiro de 2018

WhatsApp testa recurso para transferência de dinheiro entre usuários

O WhatsApp pode estar se aproximando do lançamento de um sistema que permite que seus usuários enviem dinheiro um para o outro por meio do aplicativo. De acordo com o site FactorDaily, os funcionários do Facebook na Índia já teriam acesso ao sistema, e a empresa pretende estender o teste a 1% de seus 200 milhões de usuários no país até o fim de março deste ano.

Esse sistema já estaria em uma fase relativamente avançada de desenvolvimento. Segundo uma reportagem do site indiano Economic Times, o aplicativo já tem parcerias fechadas com diversos bancos, empresas de pagamento e órgãos reguladores para disponibilizar o seu método de transferência de dinheiro e pagamentos.
De acordo ainda com os sites indianos, o sistema inicialmente só permitiria a transferência de dinheiros entre pessoas por meio do aplicativo. O WhatsApp anunciou recentemente um app separado para o uso de sua plataforma de mensagens para fins comerciais, mas segundo os relatos o foco da empresa com esse projeto são os usuários tradicionais.
Entraves
Há ainda, segundo os sites, alguns problemas para que o WhatsApp consiga funcionar como sistema de transferência de dinheiro. Segundo The Next Web, os reguladores indianos exigem que a empresa ofereça canais de atendimento ao usuário para o caso de que alguma dessas transferências não seja devidamente processado.
Além disso, o aplicativo usa criptografia ponta-a-ponta para proteger a privacidade das mensagens trocadas em sua plataforma. Os envios de dinheiro feitos pelo app seriam protegidos pela mesma tecnologia, o que causa problemas com os reguladores indianos. Por lá, transações realizadas por meio da interface unificada de pagamentos do país precisam ser auditadas a cada três meses, o que não pode ser feito se elas forem criptografadas.
Corrida do ouro
Sistemas de transferência de dinheiro por aplicativo são um mercado promissor: na China, por exemplo, já há os sistemas Alipay e WeChat Pay, que funcionam dessa maneira. Juntas, todas as soluções que funcionam dessa maneira movimentaram cerca de US$ 5 trilhões (R$ 16 trilhões) por lá em 2016.
Por isso, há muitas empresas de olho na criação de sistemas desse tipo. Quando entrar no mercado indiano, o recurso de pagamentos do WhatsApp concorrerá com uma plataforma semelhante do Google, chamada de Tez, além de outras soluções indianas como o Paytm (que já tem mais de 280 milhões de usuários registrados) e o PhonePe.
Olhar Digital – UOL

Nenhum comentário:

Postar um comentário

“Não é o poder que corrompe o homem. O homem é que corrompe o poder”!