sábado, 2 de junho de 2018

Depois do casamento, a personalidade das pessoas muda, diz estudo

Mesmo se o namoro e o noivado duraram anos e anos, no casamento tudo fica diferente. O casal passa a dividir não só a casa, como as despesas e responsabilidades, e essas mudanças podem refletir na relação. Para se moldar e adaptar a nova realidade de casado, um novo estudo indica que os parceiros passam por grandes mudanças de personalidade no primeiro ano de matrimônio.
A pesquisa, publicada recentemente na revista Developmental Psychology, foi conduzida pelo psicólogo Justin Lavner, da Universidade da Geórgia, nos Estados Unidos. Ele descobriu, ao analisar 169 casais heterossexuais recém-casados, que houve uma série de similares mudanças de personalidade nessas pessoas após o casamento .
A maioria dessas mudanças concentra-se em algo chamado na psicologia de “big five” (cinco grandes traços de personalidade), que envolve as seguintes etapas: abertura, consciência, extroversão, amabilidade e neuroticismo. Na pesquisa, os casais foram analisados nos primeiros 18 meses de matrimônio, e as perguntas foram destinadas a medir os níveis desses cinco traços de personalidade.
Quais são essas mudanças?
O estudo descobriu que tanto o homem quanto a mulher se tornaram menos agradáveis um com o outro ​​no primeiro ano de matrimônio. Também descobriu que as mulheres ficaram mais retraídas, enquanto os homens se tornaram menos extrovertidos. O ponto positivo é que as esposas ficaram menos neuróticas, enquanto os maridos tomaram mais consciência da relação e apresentaram maior estabilidade emocional.
O autor da pesquisa observa que esses resultados indicam que acontecem mudanças significativas no primeiro ano de união. O engraçado é que, de acordo com o psicólogo, os resultados foram semelhantes entre a maioria dos casais analisados – independente de idade, demografia, tempo de relacionamento, satisfação conjugal e se já são ou não pais.
Satisfação conjugal influencia
Os níveis iniciais de personalidade, bem como as mudanças de personalidade ao longo do tempo, estão ligadas a como o casal passa a encarar essa nova realidade, já que uns se adaptam rapidamente ao casamento e outros não. “Juntas, essas descobertas indicam que as personalidades dos cônjuges recém-casados ​​passam por mudanças significativas durante os anos, e isso está associado a mudança na satisfação conjugal do casal”, conclui Lavner.
IG

Nenhum comentário:

Postar um comentário

“Não é o poder que corrompe o homem. O homem é que corrompe o poder”!